sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Capítulo IV.I.I: Encruzilhadas



A custo, o Didelet abriu os olhos, e a primeira coisa que viu foi a tremenda dor de cabeça que lhe martelava o cérebro como um gongo.
A segunda coisa que viu foi o azul do céu o que, para ele, significava uma de duas coisas: ou ele estava prostrado de barriga para cima no solo, ou o mundo estava a funcionar noventa graus ao lado.

Optando pela primeira opção como sendo a mais viável, o Didelet tentou erguer-se, apenas para levar com um banho de dor em resposta. Sentia todo o corpo moído, como se alguém o tivesse usado durante horas a fio como piñata.
Uma segunda tentativa levou-o a conseguir rebolar o seu tronchudo ser para uma posição algures ali entre o deitado e o sentado. Fosse que posição fosse, era tudo menos confortável.

Serviu, no entanto, para ver que o seu corpo estava coberto de lama, verdume e inúmeras escoriações. Serviu, ainda, para ver que ele não se encontrava na casa do velho, nem nenhures perto de algo que se assemelhasse à casa do velho, mas sim numa encruzilhada de caminhos de terra batida.
Dos seus pés, saía um rasto, um sulco no solo, que se estendia e desaparecia misteriosamente após alguns largos metros. Quase como se o sulco fosse obra de ele, Didelet, ter sido arremessado de muito longe e ter ali obesamente desabado.

"Mas o que raio aconteceu aqui?," indagou o Didelet para ninguém em particular. "Um tipo já não pode perder os sentidos por um bocadinho que dá logo nisto?"

O que se seguiu poderia ser facilmente confundido com uma baleia a tentar arrastar-se como podia num naco de terra. O Didelet rojou-se de encontro à sombra mais próxima e, atingido esse objectivo, encostou-se como pôde ao tronco da faia que a gerava e entregou todo o seu peso à força recauchutante da gravidade.

Tudo para a faia dobrar a sua metade superior para a frente, olhar desfasadamente para o Didelet e, com voz grave e reverberante, dizer "Olha, desculpa lá, mas não te importavas de te ires encostar a outro lado? É que eu estou cá com umas dores no tronco que não me aguento."



Didelet, o Narrador procura saber:

O que vais tu fazer perante isto?

Submete a tua decisão por comentário ou, caso não pretendas dar a conhecer a tua intenção a terceiros, submete por email.
És livre de optar por não fazer nada e, aí, estás por minha conta.

Para efeitos de intrigas e conspirações, o email contameumaestoria@gmail.com permanece sempre ao teu dispor.

5 comentários:

DiDlas disse...

Eu prefiro mandar-te a minha resposta por mail, para deixar o pessoal em suspense.

Legião da Sombra, escombros e mesmo também debaixo de algumas pedras (Cpt. Xilema, FOX, Messias, Marcx e Soninho) disse...

É a altura perfeita de dar a conhecer a némesis, o seu arqui-inimigo ou Vilão... tem que haver um Agent Smith ou um Darth Vader!!!

Cpt. Xilema

grassa disse...

Ui... até eu desenrolar o nó do porquê deles aqui estarem ainda vai correr muita tinta...

Rei da Lã disse...

Estes "posts" fazem concorrência às minhas estantes...

;)

tiagugrilu disse...

Eu quero cagar a zundapp. Mas tem que ser uma zundapp 3. Ou uma casal boss.